Um marco na história recente dos Apóstolos

Imprimir

É a verdadeira hora de nascimento do apostolado da idade moderna: em 14.07.1835, há 180 anos, as comunidades católico-apostólicas consagraram a seus Apóstolos em Londres. Mas a história que se seguiu não se desenvolveu como o esperavam.

 

Já antes Apóstolos haviam sido chamados na Inglaterra, administravam atos ministeriais e eram ativos. Entretanto, em 14 de julho de 1835 um marco sucedeu. Isto foi explicado mais tarde por Thomas Carlyle, o Apóstolo em cuja tradição mais adiante se deu continuidade ao apostolado na Alemanha. Ele comparou o processo com as três unções de David: pelo profeta Samuel, pela tribo de Judá e por toda Israel (1º Samuel 16:13; 2º Samuel 2,4; e 5,3. A primeira unção Carlyle comparou com o chamamento profético dos Apóstolos, a segunda com a “consagração” e a terceira com o “envio” que ainda estava mais adiante.

Desejo de nova atividade do Espírito Santo

A história prévia: Alguns cristãos de diferentes confissões sentiram as transformações que se produziam depois da Revolução Francesa e pela Revolução Industrial como uma secularização. Estimulados pelo ministro religioso James Haldane Stewart, surgiu por volta de 1820 o desejo de uma nova atividade do Espírito Santo, o qual se confirmou, entre outros, por informações de curas surpreendentes de enfermidades. Representantes da “Escola Profética” se reuniram para fundamentar as promessas bíblicas para o último tempo. Fizeram-no em círculos de oração ou também na “Conferência de Albury” do nobre Henry Drummond e do predicador Edward Irving.

Quanto mais se vinculavam essas vias de desenvolvimento, mais firmemente ia seguindo o movimento apostólico. Profecias viram o jurista John Bate Cardale como Apóstolo de Jesus Cristo, cujos chamamentos proféticos foram reconhecidos a partir de setembro de 1832 pela comunidade de Irving e por outras comunidades. No Natal do mesmo ano, Cardale, com duas ordenações, efetuou seus primeiros atos ministeriais como Apóstolo.

Os sinais prévios se cumpriram

Já no início de 1832, o dia 14 de julho de 1835 tinha sido profetizado como a data de um acontecimento especial. O que a profecia primeiramente considerou como a data do retorno de Cristo, mais adiante se interpretou como o momento em que o movimento apostólico se convertia em Igreja. Entretanto, necessitava-se para isto, segundo o entendimento daquele tempo, o número bíblico completo de sete comunidades em Londres e que houvesse doze portadores do ministério de Apóstolo.

Prédicas a céu aberto no bairro de Paddington e atividades similares no aristocrático Westminster  conduziram à fundação das duas comunidades que faltavam. Mas até a tarde da data esperada só havia onze Apóstolos, pois o número doze deles não quis aceitar seu chamamento. Segundo o exemplo bíblico da eleição de um Apóstolo substituto, o Apóstolo Matias (Atos 1:15-26), finalmente se decidiu a sorte entre dois candidatos.

Surge a Igreja conduzida por Apóstolos

Todos os sinais haviam se cumprido: À noite, em 14 de julho de 1835, cada um dos anjos (Bispos) das sete comunidades de Londres impôs suas mãos em cada um dos Apóstolos. Declararam dessa maneira, que os Apóstolos a partir desse momento “estavam consagrados”, o que significava que tinham sido liberados de suas funções anteriores no trabalho na comunidade e que estavam equipados e abençoados para sua futura função de conduzir a Igreja como um todo, que segundo a convicção daquele tempo se considerava que estava em surgimento.

Ao realizar ativamente essa tarefa, os Apóstolos se retraíram a uma etapa de aprendizagem. Somente depois dessa etapa teria lugar o “envio”. Mas a esse passo não se chegou à forma que se esperava. O chamamento dos Apóstolos aos ministros religiosos de todo o mundo, de subordinar-se à autoridade do novo apostolado, o “Grande Testemunho”, ficou quase sem resposta.

Ambos os ramos se separaram

Não obstante, os Apóstolos ingleses começaram a preparar a noiva de Cristo. A partir de 1847 começaram a selar nas áreas de atividade que lhes haviam sido designadas, aos cristãos batizados com água. Especialmente promissor foi o Apóstolo Carlyle, que ativava principalmente no norte da Alemanha. Foi ele também aquele que lutou para restaurar a quantidade de doze Apóstolos, depois que dois deles deixaram sua atividade. Entretanto, não conseguiu se impor no Colégio de Apóstolos.

Depois que o Apóstolo Carlyle faleceu em 1855, a doutrina católico-apostólica mudou. De acordo a esta mudança, uma igreja episcopal guiada por 70 “arcanjos” deveria continuar a obra dos Apóstolos depois de seu falecimento. Porém, Edward Oliver Taplin, o “pilar dos profetas”, no ano de 1859 chamou a um colaborador próximo de Carlyle como seu sucessor como Apóstolo para o norte da Alemanha. De forma parecida que na ocasião dos posteriores chamamentos a cargo do profeta alemão e seguidor de Carlyle, Henrich Geyer, os Apóstolos ingleses rechaçaram essas instituições ministeriais.

O significado para a Igreja Nova Apostólica

No mais tardar foi aqui que ambos os ramos, que já haviam existido dentro do movimento católico- apostólico, se separaram. Da tradição do Apóstolo Carlyle surgiu, passando pelo ponto intermediário da “Missão Geral Cristã Apostólica”, a Comunidade Apostólica e finalmente a Igreja Nova Apostólica.

Assim, o dia 14 de julho de 1835 também tem um significado especial para a Igreja Nova Apostólica, como diz uma posição oficial do grupo de trabalho História: “Entende-se a Igreja Nova Apostólica como uma continuação da Igreja Católica-Apostólica. Ainda que ambas Igrejas se diferenciam muito na organização e na forma dos Serviços Divinos, une-as a certeza de que os Apóstolos em sua atividade em comum são necessários para a preparação da noiva do Senhor”.

Mais informações em idioma alemão encontram-se no Comunicado oficial do grupo de trabalho “História”, o arquivo central da Igreja Nova Apostólica Renânia do Norte Westfália, o “Relato de acontecimentos” do Apóstolo Woodhouse, assim como na série de artigos “O caminho até a Igreja Nova Apostólica .

Nac.today

Informações do artigo

Autor: Andreas Rother, Manfred Henke

Data: 14.07.2015

Palavras-chave: Apóstolos, confissões

Legenda: Os Apóstolos da Igreja Católico-Apostólica (sem Duncan Mackenzie; fotomontagem histórica)

Eu amo Jesus 

... e o mais bonito é o fato de saber que esse amor é recíproco.


Com nac.today da Igreja Nova Apostólica, começou um novo meio de difusão. Com os relatórios do mundo todo, o novo magazine de notícias da Igreja Nova Apostólica Internacional (INAI) irá fornecer diariamente informações que sejam de interesse para os cristãos novo-apostólicos e leitores interessados. O conteúdo do novo magazine de notícias incluirá questões internacionais relevantes. Fazem parte delas, entre outras, questões sociais, relatórios detalhados sobre os anúncios da Igreja, bosquejos biográficos e artigos sobre história.

nac.today

nacworld

Nacworld é a rede social da Igreja  Nova Apostólica. Esta rede lhe oferece a oportunidade de fazer contatos em todo o mundo e cultivar amizades. Aqui você vai encontrar pessoas interessantes, vários temas sérios ou bem-humorados, imagens (fotos), vídeos e diferentes opiniões...O uso de nacworld é isento de custosPara se registrar nacworld você precisa apenas de um minuto, e assim passará a fazer parte dos ... 31187 membros que estão atualmente registrados no nacworld. Quantos deles você conhece? 

Nacworld está aberto à opinião.

  • Apóia entretenimento assistido
  • E-mail, chat, fórum, mídia, contatos
  • 24 horas/dia , 365 dias ao ano

Entre agora mesmo e faça parte.

https://nacworld.net/public

Copyright © 2018 Igreja Nova Apostólica. Template designed by olwebdesign.